Consulte Disponibilidade
+55 48 3532-1059
Consulte Disponibilidade
  • SELO-15 anos

Nosso comecinho...

Quando começamos a pensar e idealizar nosso Refúgio, estávamos vindo de uma experiência na Austrália, onde ficamos quatro meses encantados com o trabalho feito em parques nacionais e reservas ecológicas naquele país. Era o ano de 1997, e no nosso retorno ao Brasil iniciamos uma busca pela área ideal que levaria 2 anos a ser encontrada, e uma imersão total no ecoturismo, um setor novo e latente na época.
Muito procuramos por Cambará do Sul, e quase fechamos um negócio por lá, mas sentíamos que não tinha o impacto da paisagem que buscávamos realmente. Ficamos trabalhando como guias (Expedição Caá-etê Ecoturismo & Aventura) e regularmente íamos à região, nos hospedávamos em pousadas simples, rurais, casas adaptadas dos moradores, pois na época não havia infra-estrutura turística adequada.
Até que, numa das descidas da Serra do Faxinal, tivemos um estalo de procurar terra na parte de baixo dos cânions. E assim foi. Nem precisamos olhar muito, e numa segunda visita já tínhamos uma possibilidade real! Seu Zeca (nas fotos) aceitava vender 7 hectares junto ao cânion Malacara. Era o tamanho ideal para nós, cabia no nosso orçamento e tinha uma vista internacional, os paredões de um cânion, um local escolhido para ser parque nacional pela sua beleza singular, além, é claro, de abrigar grande diversidade faunística e florística.
O aspecto negativo, porém: ninguém conhecia a cidade onde pretendíamos colocar as instalações da pousada. Estaríamos inclusive mudando de Estado! As atenções eram todas para Cambará do Sul naquela época, em cima de campanhas nacionais que o Governo do Estado do Rio Grande do Sul fazia e da própria reinauguração do parque, que aconteceu em 1998, onde maior parte do investimento se deu no lado gaúcho desta Unidade de Conservação.
Investigamos os limites do parque no IBAMA, para nos certificar que a área estava fora do Parque Nacional. E assim, colocando no papel os prós e contras, ficava claro que aquele local ali tinha um valor imenso. Rios, cachoeiras, trilhas, enfim, víamos muito potencial para ser desenvolvido.


  • Panoramica do terreno
  • Seu Zeca
  • Jean vistoriando terreno 1999
  • SEU ZECA
  • Jean vistoriando terreno REPA 1999

A construção

Ficamos quase um ano com o terreno parado, pensando: vamos ou não investir? Ao mesmo tempo, contratamos um projeto arquitetônico de 16 unidades habitacionais. Sabíamos que não seria fácil, e além do mais, nem tínhamos a verba toda que necessitaria. Continuávamos guiando via Cambará do Sul e cada vez ficava mais latente em nós a necessidade quase que urgente de uma melhor infra-estrutura para atender nossos grupos. Banheiros coletivos era um entrave na venda, chuveiro elétrico, um problema no inverno e televisão ligada nos momentos de confraternização, quebrava o clima de convívio das pessoas e da natureza. Então era claro para nós que faríamos tudo diferente! E ansiávamos por isto!
Iniciamos a construção em março de 2001. Decidimos construir 50% dos apartamentos projetados (somente uma ala) e o salão principal com os serviços. Não tínhamos fôlego para tudo e nem sabíamos se ia dar certo... Logo no começo, percebemos que o projeto poderia ficar bem melhor e fizemos várias adaptações, entre elas o mirante, que hoje é um atrativo a parte.
Em novembro daquele ano, caímos na real de que não teríamos condições financeiras de finalizar a obra, mesmo já tendo cortado uma ala de apartamentos. Já havíamos telhado, mas faltavam as esquadrias, móveis e detalhes finais (e como tem!). Pensamos em fechar a carcaça até conseguirmos juntar o que faltava. Irineu Kunrath (in memoriam), nosso grande incentivador, não aceitou e forçou-nos a correr atrás de um financiamento. Neste meio tempo, a SP Materiais de Construção, mesmo sem receber, não deixou parar a obra também e continuou fornecendo tudo o que pedíamos. Enfim, o Badesc nos liberou o valor final em março de 2001 e em junho, dia 30, inaugurávamos o Refúgio Ecológico Pedra Afiada, na localidade de Vila Rosa, município de Praia Grande, num festão para mais de cem convidados.

  • canteiro de obra
  • Pousada Caa-ete
  • antigo portão entrada
  • Construção REPA iRINEU kUNRATH
  • Gado no terreno - REPA obras

A inauguração

  • Inauguração estacionamento
  • Inauguracao
  • Florestando

Foi maravilhoso! Muitos amigos vieram de longe nos prestigiar, nos ajudar nos preparativos, muitos clientes dos nossos roteiros também, várias personalidades da cidade e de cidades vizinhas, prefeitos, empresários, pessoas que nos ajudaram, que acreditaram, mas a maioria, nos bastidores e na boca pequena, achava que não ia dar certo, que a gente era louco, que era um risco tremendo...
E era mesmo! Mas um risco calculado! Sabíamos que não havia hospedagem melhor que a nossa! Quem quisesse parar bem, viria para a gente! Conseguimos colocar nossa pousada na revista Terra daquele mês (o repórter havia vindo um mês antes) e no Guia 4 Rodas daquele ano, por tanto estávamos na mídia. Já estávamos com folder pronto e distribuído nos centros turísticos da serra gaúcha, havia placas nossas pelo caminho, tanto de quem vem pela BR, como de quem desce a Serra do Faxinal. Nosso site também já estava no ar e a Caá-etê, nossa agência de ecoturismo, estava fechando roteiros e reservas para o Refúgio! Assim, julho 2001 foi um mês maravilhoso de trabalho, com um excelente movimento. Agosto, o movimento caiu. Setembro levantou novamente com os feriados e assim começamos nós a conviver e conhecer a sazonalidade da hotelaria.
Hoje, já são 15 anos de pousada aberta e funcionando 365 dias ao ano. Alguns acontecimentos nos marcaram, como a morte do hóspede holandês, a passagem do furacão Catarina, a enchente de março de 2007, a queda da chaminé em 2011, o fechamento da trilha Mirante do Malacara, o avistamento dos primeiros mamíferos (pequeno porte) circulando na área... Muitas pessoas passaram, desde apoiadores, funcionários, parceiros e hóspedes. E muito incentivo, sorrisos e palavras positivas fazem com que continuemos aqui, conservando este pedacinho de terra junto ao Parque Nacional da Serra Geral, recebendo pessoas tão especiais, sensíveis ao ambiente natural, que nos permitem querer crescer para melhor recebê-las cada vez mais. E isso já rende uma outra linda história...

Quer saber mais sobre nossa história e a história do reflorestamento de nossa área?  Assista este belo vídeo que o programa Terra da Gente, da Globo, fez conosco!

http://redeglobo.globo.com/sp/eptv/terradagenteeptv/videos/t/edicoes/v/terra-da-gente-pedra-afiada-bloco-01/3749639/


Este texto é autoria da jornalista Ana Cláudia Strauch Aveline, sócia, idealizadora e diretora do Refúgio Ecológico Pedra Afiada.

  • Resgate Holandes
  • ENCHENTE 2007 - VILA ROSA
  • QUEDA CHAMINÉ
  • Nós agosto 2005
  • ENCHENTE VILA ROSA 2007
  • Comemoração temporada JULHO 2010 (19)
  • Arco-íris visto do Sacadão
Fechar